UFLA participa do Inova Minas Fapemig

Equipe UFLA no Inova Minas Fapemig
Equipe UFLA no Inova Minas Fapemig

Nos dias 23 e 24 de novembro, o público mineiro teve a oportunidade de conhecer algumas das pesquisas produzidas no Estado. Foram apresentados, no Inova Minas Fapemig, em Belo Horizonte, 70 projetos por meio de vídeos curtos – os chamados pitchs. O evento foi organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Ensino Superior de Minas Gerais (Sectes).

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) foi representada pelos professores José Maria Lima (pró-reitor de Pesquisa); Luis David Solis Murgas (Rede Mineira de Bioterismo); Mário Lúcio Vilela de Resende (INCT Café); Fabiano Magalhães (Departamento de Química); e Paulo Pompeu (Departamento de Biologia). Além deles, a UFLA também foi representada por Thiza Falqueto Altoé (Lemaf), Raphaela Silva Ribeiro (Inbatec), e Tayfane Coimbra (Nintec).

O objetivo do Inova Minas Fapemig foi aproximar a ciência e a tecnologia dos problemas do cotidiano. Na abertura do evento, o presidente da Fapemig, professor Evaldo Vilela, apresentou uma parceria com a Sectes e com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes) para criar editais que mobilizem pesquisadores a se dedicarem à recuperação do Rio Doce.

Para Evaldo Vilela, o Inova Minas Fapemig visa sistematizar e dar visibilidade à informação científica decodificada. “É preciso motivar os pesquisadores para o trabalho de levar a informação científica, o conhecimento novo, para o quadro de percepção da sociedade. E, a partir daí, propiciar as condições políticas para priorizar C & T no debate do desenvolvimento social e econômico do Brasil”, ressaltou o presidente da Fapemig na ocasião.

Todos os anos, recursos financeiros públicos são investidos em pesquisa no Estado, tempo é despendido e equipes numerosas são envolvidas no fazer científico. Se a maior parte da população não fica sabendo que tudo isso está acontecendo para seu benefício, certamente é compromisso da Fapemig criar condições para tal, incluindo ambientes favoráveis para o encontro da pesquisa científica e tecnológica com a sociedade.

Como uma das Universidades mais inovadoras do Estado e do Brasil, a UFLA não poderia ter ficado de fora. Diversas pesquisas de grande relevância são desenvolvidas nos laboratórios, centros de pesquisa e no campo. Sempre contando com o apoio da Fapemig, a UFLA possui 87 depósitos de patentes com a Fapemig. Isso quer dizer que a produção intelectual da Universidade é efetiva e reconhecida. Com o apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa, foram enviadas mais de 50 tecnologias para participar do evento, sendo que seis deles foram aprovadas.

De acordo com o professor José Maria, o evento atingiu as expectativas, tendo sido excelente oportunidade de expor os resultados de projetos de forma mais acessível àqueles que não estão envolvidos no meio acadêmico e de pesquisa. “Em linguagem mais simples, a comunidade teve contato com produtos e serviços gerados naqueles projetos selecionados pela Fapemig para serem apresentados”, mencionou o pró-reitor de Pesquisa, acrescentando, ainda, que “a UFLA, mais uma vez, se fez presente e mostrou sua importância para o estado e País. Depoimentos interessantes foram ouvidos daqueles que visitaram as apresentações e o interesse por aquilo que é desenvolvido na Universidade foi manifestado de forma significativa.
Eventos como o Inova Minas Fapemig certamente ganharão mais espaço na agenda das universidades e órgãos envolvidos com a inovação em Minas Gerais”, concluiu.

Amanda Castro – jornalista. Assessoria de Inovação e Empreendedorismo.