Todos os posts de Cleison Alonso DGTI

Fapemig aprova projeto do Nintec/UFLA

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) acaba de aprovar o projeto “Apoio à Criação e/ou Manutenção de Núcleo de Inovação Tecnológica” do Núcleo de Inovação Tecnológica (Nintec) da UFLA.

O projeto aprovado visa assegurar ao Núcleo, suporte gerencial, tecnológico e operacional possibilitando a continuidade dos trabalhos desenvolvidos pelo órgão. Além disso, busca-se incentivar a identificação do potencial inovativo, promover a difusão da cultura de proteção intelectual como estratégia para o desenvolvimento do Estado e possibilitar o treinamento dos membros do Nintec nas áreas de Propriedade Intelectual, Proteção do Conhecimento e Transferência de Tecnologia.

Segundo Wilson Magela Gonçalves, assessor de inovação e empreendedorismo da UFLA e coordenador geral do Nintec, o Núcleo tem exercido um importante papel dentro do contexto de inovação na Universidade e na gestão das tecnologias obtendo-se excelentes resultados. Com uma equipe altamente qualificada, o Nintec atua diretamente na realização das buscas de anterioridade de tecnologias, assim como na redação de patentes e tem realizado aproximadamente 120 atendimentos mensais de docentes, discentes e inventores independentes para esclarecimento de dúvidas sobre patentes, marcas, softwares e cultivares.

O assessor de inovação e empreendedorismo ressalta ainda o elevado potencial da universidade em desenvolver pesquisas inovadoras, “tem-se registrado um crescente número de solicitações de proteção das criações: 73 pedidos de patentes desenvolvidos em parceria com a universidade, 6 pedidos de patentes de inventores independentes, 1 solicitação de patente internacional, 39 pedidos de registro de marcas, 9 registros de cultivares e 14 registros de softwares”, conclui.

Para Mônica Torres Prado, gestora de C&T do Nintec, “com essa aprovação serão renovadas 3 bolsas, garantindo a proteção e a manutenção de um núcleo de inovação”, além disso, “poderemos continuar proporcionando à UFLA e à comunidade lavrense a proteção de sua propriedade intelectual com o registro de patentes, marcas e cultivares”.

Outras informações pelo telefone 3829 1591.

Dissertação defendida no DAE reforça a necessidade de direcionar a pesquisa para a inovação

As formas de tornar as patentes de universidades brasileiras em inovação percebida pela sociedade têm sido discutidas tanto pela academia, quanto pelos órgãos financiadores, visando a gerar, além de conhecimento, benefícios sociais e econômicos para a universidade e para a sociedade em geral. Neste sentido, foi defendida nessa segunda-feira (15), dissertação de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Administração (DAE), que abordou as estratégias e práticas de marketing desenvolvidas por universidades brasileiras para a promoção e comercialização de registros de patentes, visando à inovação.

A dissertação foi defendida pelo estudante Felipe Malvezzi, membro do Grupo de Estudos em Marketing e Comportamento do Consumidor – Gecom/UFLA, sob a orientação do professor André Luiz Zambalde e coorientação do professor Daniel Carvalho de Rezende.

A investigação teve como pressuposto a utilização das estratégias de marketing como aspecto necessário e fundamental para o sucesso da transferência de patentes, quando se vislumbra a inovação tecnológica. Por meio da pesquisa, foram identificadas diferentes estratégias e chegou-se a conclusão de que as universidades precisam reconhecer a necessidade de se administrar os diferentes tipos de inovação de forma diferente.

Além disso, as universidades devem focar as estratégias na pesquisa orientada para a inovação, ou seja, estratégias que busquem transformar a pesquisa básica e aplicada, preferencialmente, em inovação radical, contribuindo, assim, para o desenvolvimento científico e tecnológico do País.

Publicado em: http://www.ufla.br/ascom/index.php/2013/04/dissertacao-defendida-no-dae-reforca-necessidade-direcionar-a-pesquisa-para-a-inovacao/

Depósito de patente e tese defendida no Programa de Pós-Graduação em Agroquímica vence Prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade

A tese intitulada “Degradação de Corantes e Remediação de Efluentes Têxteis por Extrato Bruto de Peroxidase de Nabo” foi a primeira colocada no Prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade, que divulgou a lista de vencedores hoje (9). A tese está enquadrada no Grupo I – processos eficientes para redução do consumo de água e de energia. A pesquisa foi produzida pela doutora Maria Cristina Silva, do Programa de Pós-Graduação em Agroquímica da UFLA, orientada pela professora Angelita Duarte Correa (Departamento de Química – DQI). A cerimônia de entrega do prêmio será em Brasília, na sede da Capes, no dia 25 de abril.

Esta edição do prêmio é concedida a teses e dissertações defendidas no Brasil em 2011. O prêmio foi criado por uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Vale para incentivar ideias, soluções e processos inovadores para questões ambientais, como redução de gases do efeito estufa, redução do consumo de energia e água, reaproveitamento e reciclagem.

Os vencedores do prêmio nas categorias de doutorado receberão certificado, troféu, prêmio em dinheiro e uma bolsa para realização de estágio pós-doutoral de até 3 anos em instituição nacional ou um ano fora do País, em instituição de notória excelência na área de conhecimento. O orientador também é contemplado, com certificado e um auxílio equivalente a uma participação em congresso internacional.

Veja aqui os vencedores.

Tese premiada

Esta não é a primeira vez que a tese vencedora recebe distinção: no ano passado, o Prêmio Capes de Tese concedeu uma menção honrosa na categoria Ciências Agrárias I ao trabalho produzido por Maria Cristina Silva. Ela também foi vencedora, por dois anos consecutivos, do Prêmio Furnas Ouro Azul.

O estudo desenvolvido por Maria Cristina tem como foco o uso racional dos recursos hídricos, oferecendo uma alternativa aos processos tradicionais de tratamento de efluentes coloridos de indústrias têxteis. A tecnologia desenvolvida utiliza uma enzima presente no nabo (peroxidase), capaz de atuar na oxidação de diversos corantes industriais. O resultado permite o descarte da água residuária no meio ambiente ou mesmo a sua reutilização em banhos de tingimento. A tecnologia rendeu o depósito de uma patente.

Fonte: http://www.ufla.br/ascom/index.php/2013/04/tese-defendida-no-programa-de-pos-graduacao-em-agroquimica-vence-premio-vale-capes-de-ciencia-e-sustentabilidade/

Resultado Seleção de Bolsista em Gestão de Ciência e Tecnologia (Área Jurídica)

Segue abaixo o resultado da seleção de bolsista para atuar no Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade Federal de Lavras – NINTEC/UFLA:

Candidatos classificados:

Lugar

NOME

1o

BRUNA DE ANDRADE ARAÚJO

2o

DANTON JOUBERT ANTUNES COIMBRA

3o

RODRIGO DE PAIVA GODINHO

4o

GUILHERME SCODELER DE SOUZA BARREIRO

Demais informações entrar em contato como o NINTEC.

UFLA participa da 2ª edição do Programa Mineiro de Empreendedorismo na Pós-graduação

Estudantes de Mestrado e Doutorado de nove instituições de ensino de Minas Gerais, entre elas a Universidade Federal de Lavras (UFLA), já podem começar a se preparar para a segunda edição do Programa Mineiro de Empreendedorismo na Pós-graduação. A iniciativa pioneira e premiada visa a fortalecer a cultura empreendedora e de inovação nas universidades e contribuir para transformar pesquisa científica em inovação tecnológica.

Para fazer o lançamento do Programa na UFLA, uma equipe de especialistas do Sistema Mineiro de Inovação (Simi) e do Instituto Inovação fará uma apresentação na próxima segunda-feira (25), no anfiteatro Magno Antônio Patto Ramalho (Departamento de Biologia), sobre o tema: “Inovação Tecnológica e Oportunidades Associadas a ela”. Serão duas apresentações: às 14 horas, será destinada aos coordenadores dos cursos de Pós-Graduação da UFLA e, às 16 horas, destinada aos estudantes interessados em participar do Programa.

Núcleo de Inovação Tecnológica inicia elaboração do Planejamento Estratégico

A equipe do Núcleo de Inovação Tecnológica (Nintec) da UFLA realizou, na sexta-feira (6), a reunião inicial para discutir a elaboração do primeiro Planejamento Estratégico do órgão. O documento irá contemplar a gestão 2012/2016.

Foram definidos, inicialmente, cinco projetos essenciais para a atuação do Nintec: Divulgação; Processualização; Difusão do Arcabouço Jurídico; Transferência de Tecnologia; e Qualificação Profissional da Equipe. A primeira versão do Planejamento Estratégico será concluída nos próximos 60 dias.

A Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Federal de Lavras (Inbatec/UFLA) também se prepara para construir seu Planejamento Estratégico. A gestão da Incubadora já elaborou o termo de referência para contratação de consultoria especializada para a elaboração do Planejamento Estratégico, conforme recurso previsto em projeto de apoio às Incubadoras de Empresas de Base Tecnológicas mineiras aprovado na Fapemig.

Depois de finalizadas as primeiras versões dos Planejamentos Estratégicos do Nintec e da Inbatec, pessoas e órgãos ligados a estes serão convidados para dar contribuições à versão final dos documentos. De acordo com o coordenador do Nintec e da Inbatec, professor Wilson Magela Gonçalves, “o Planejamento Estratégico é um exercício eficaz no sentido de deixar claras as atividades e metas periódicas, em consonância com o planejamento da universidade. Além disso, dá condições de alinhar as ações do Nintec e Inbatec com as de órgãos internos e externos à UFLA”.

Fonte: http://www.ufla.br/ascom/index.php/2012/07/nucleo-de-inovacao-tecnologica-inicia-elaboracao-do-planejamento-estrategico/

Tratamento e Recuperação de Manganês Oriundo de Indústrias de Papel e Celulose Utilizando Ferro Residual do processo de Usinagem

Tratamento e Recuperação de Manganês Oriundo de Indústrias de Papel e Celulose Utilizando Ferro Residual do processo de Usinagem

Detalhes de Patente – Dados de Propriedade Intelectual

Título Tratamento e Recuperação de Manganês Oriundo de Indústrias de Papel e Celulose Utilizando Ferro Residual do processo de Usinagem
Autores Zuy Maria Magriotis

Adelir Aparecida Zack

Felipe Moreira Pinto

Aplicação Desenvolvimento de um processo para tratamento e recuperação de manganês oriundo da industria de papel e celulose utilizando ferro zero residual no processo de usinagem.
Status Requerida
Data de Depósito (dd/mm/yyyy) 16/06/2011
Nº de Protocolo/PI 014110001949
N° de Certificados de Adição Esta Patente não possui Certificados de adição.
Órgão INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Brasil)
Link para Órgão http://www.inpi.gov.br